A importância de usar indicadores

O uso de indicadores contribui no acompanhamento e monitoramento da execução de planos, políticas e medidas. Ao se valer de um conjunto de indicadores, a sociedade tem a possibilidade de compreender melhor a efetividade dos instrumentos de gestão disponíveis a ela: Plano, políticas, medidas. Além disso, eles podem trazer informações sobre uso de recursos humanos, financeiros e materiais, sobre o cumprimento de normas, ajudam a analisar tendências e contribuem, também, com a investigação científica sobre assuntos diversos.

Os indicadores de acompanhamento do PlanMob-BH

O PlanMobBH possui quatro níveis de indicadores:

  1. Indicadores para cada um dos seis Objetivos Estratégicos do Plano;
  2. Indicadores gerais para se avaliar o Plano;
  3. Indicadores que avaliam cada um dos oito Eixos do Plano;
  4. Indicadores que avaliam os 23 Programas do Plano.

Além desses, o Plano de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte possui um Indicador Geral do Plano: Índice de Cumprimento das Metas (ICM) estabelecidas no PlanMob-BH 2030.

Ele tem por objetivo a avaliar permanentemente o efetivo cumprimento das metas estabelecidas em todos os eixos que integram o PlanMob-BH.

Esses quatro níveis mais o Indicador Geral, cruzados entre si e inseridos nos os horizontes de curto (2020), médio (2025) e longo prazo (2030) permitirão à Prefeitura de Belo Horizonte e à sociedade em geral acompanhar dinamicamente a execução do Plano de Mobilidade e propor, periodicamente, sua revisão, com base nos resultados apurados pelos indicadores do Plano, dos Eixos e dos Programas.

Indicadores apurados pela BHTrans

Atualmente, o PlanMobBH possui 107 indicadores de desempenho que foram discutidos no âmbito do Observatório da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte e que contribuem para o monitoramento do Plano.

Após a publicação de três edições do Balanço da Mobilidade Urbana, identificou-se a necessidade de revisar, de forma participativa, os indicadores de acompanhamento do Plano e o formato do Balanço, de maneira a torná-lo mais efetivo na avaliação da implementação do PlanMob-BH. Desse processo de revisão, que durou quase dois anos, chegou-se aos 107 indicadores.

Para compreender melhor sobre o processo de revisão, acesse o documento Revisão dos indicadores do Balanço Anual de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte 2016 (ano-base 2015).